Enter your keyword

Uma DATA para a HISTÓRIA: "Ô abre alas que eu quero passar ... 160 anos de Chiquinha Gonzaga".


No dia 28 de Fevereiro de 1935, os ceús abriam alas para a chegada de Chiquinha Gonzaga. O país chorava por aquela mulher, a primeira pianista de "choro", autora da primeira marcha carnavalesca (Ô Abre Alas, 1899) e também a primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil. "Chiquinha", como carinhosamente era apelidada pelos seus admiradores fiéis, combatia junto a seus seguidores o preconceito aristocrata e machista de restringir a arte musical aos homens. Feminista, participou ainda, ativamente, da campanha abolicionista e da campanha republicana, sendo também a fundadora da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais. Versátil e apaixonada pela dedicação à música, Chiquinha Gonzaga compôs músicas para 77 peças teatrais, tendo sido autora de cerca de duas mil composições em gêneros variados: valsas, polcas, tangos, lundus, maxixes, fados, quadrilhas, mazurcas, choros e serenatas. Viva, essa baluarte carioca da cultura brasileira completaria em 20o9 160 anos. Uma idade sobrenatural, embora condizente com essa sobrenatural artista que tinha as notas musicais como a imortalidade de sua obra.
Nesta semana, nada seria mais justo do que ilustrar esse momento com aquela "rica mulher popular" que embalou muitos dos antigos carnavais de blocos com o ritmo empolgante de suas "marchinhas"que viraram nossas.
Para mais curiosidades sobre essa personalidade da cultura nacional, acesse a página oficial de Chiquinha Gonzaga http://www.chiquinhagonzaga.com. Lá você encontrará a proporção exata da importância dessa mulher para história do Brasil.

Nenhum comentário: