Enter your keyword

Uma DATA para a HISTÓRIA: "O fim do Cárcere e o início das memórias à Graciliano Ramos".




Em 20 de Março de 1953, vitima de um câncer no pulmão, chega-se ao fim a vida deste célebre romancista, cronista, contista, jornalista e memorialista brasileiro do século XX. Natural de Palmeira dos Índios - AL (cidade pela qual se elegeu prefeito em 1927) Graciliano Ramos de Oliveira não se identifica com os ramos da política, sendo está talvez uma de suas diversas virtudes. Entre 1930 e 1936, Graciliano publica o seu primeiro livro, o desbravado "São Bernardo". Insuflado pelo clima do Brasil durante o período histórico da Ditadura de Vargas - O Estado Novo, Graciliano Ramos é injustamente encarcerado. Com ajuda de Jósé Lins do Rego, lança em 1936 a obra "Angústia". Mas é em 1937 e em 1938, quando da sua libertação que o destemido escritor se consagra perante o universo literário brasileiro. Com as até hoje inigualáveis publicações no que concerne as experiências de cadeia vivenciadas por ele, Graciliano durante o golpe ditatorial de Vargas na obra "Memórias do Cárcere" e, por meio do relato chocante da luta do nordestino contra a seca e contra a miséria em "Vidas Secas", que o o estilo formal de escrita e de caracterização do eu em constante conflito (até mesmo violento) com o mundo, a opressão e a dor são fincados na antologia literária do Brasil. Um indicio real da imortalidade dos escritos de Graciano Ramos constata-se através da vitalidade de Vidas Secas; um livro memorável que já vendeu mais de um milhão e meio de cópias e está na centésima sexta edição, completando em 2008 70 anos de vendagem. Dizer obrigado à este ícone é um mero agrado àquele que nos retribuiu com personagens tão ricos como Fabiano, Sinhá Vitória, a cachorra Baleia, Paulo Honório e tantos outros. No dia 20 de Março o país perdia um homem e ganhava um marco de integridade, coragem e inteligência para o povo brasileiro. Ele foi e será para sempre o registro das memórias da pátria verde e amarela consumados especificamente nas palavras do simples Graciliano, como se é induzido na página eletronica oficial deste autor.




Mais informações acerca da vida e da obra de Graciliano Ramos, acesse o site oficial dedicado à este escritor. http://www.graciliano.com.br/

Um comentário:

Renam Beriello disse...

Escrever de forma simples, mas com propriedade.Assim vc vai longe Thiago Azevedo. Parabéns pela primorosa lembrança à Graciliano.Começo a ser seu fã o tanto quanto sou deste alagoano escritor...você e ele tem algo em comum, ambos escrevem com atitude e verdade e não temem desagradar a A ,B ou C! Continue firme e forte.