Enter your keyword

Poema: "Fusão".




O calafrio humano parece ser indicio do concreto,
pena que não prove do inexistente.
Talvez em função deste cinzento céu discreto
esmiúça um ruído de quinze graus ardente.

Já é noite, hora de poetas despertarem vidas,
E de jovens festejarem a alegria do ócio.
Enquanto os velhos tricotam flores nítidas,
Escoam nos segundos tempos de relógio.

É se de arrepiar quando o frio vence o suor.
Escorre da gélida fumaça um calor vazio;
Caminha, queima, liquidifica ao redor.
Tão frágil se faz esta percepção inútil;
A de deflagrar o homem como se fora rio,
sem margens, sem rumos, hostil.