Enter your keyword

Poema: "Grito".



O grito que é dito
não vem do palpite
instante finito.

O som desse rito
não vem do limite
constante detrito.

O peso de mito
simulo na boca
fingir o contido.

A voz em delito
tremula se rouca
nutrir o conflito.


Poema publicado também no Site Recanto das Letras (AQUI).

Um comentário:

disse...

Amigo, que massa esse poema! Tão fechadiinho... bem construído... Ficou liindo!! =D

Bjs