Enter your keyword

Poema: "Meu Náutico", de Rafael de Oliveira.



Meu traço corre fagueiro,

Pois deseja poesia.

Meu coração pede verso

Para espalhar alegria.

O meu Náutico desenha

Amor em mim todo dia.



Não tenho as marcas de um nobre,

Mas ando como quem sonha.

Herdei lá dos meus avôs

O verso pra que alguém ponha

Um pouco disso que esmero

Sem prezar rima enfadonha.



O meu Náutico não tem

Os preconceitos passados.

Não tem medo nem de longe,

De pesadelos maldados.

Sua postura é maior

Que quarenta mil ducados.



Meu Náutico, quem te pinta

Alvirrubro, sabe o segredo

De lutar a cada dia

Sem vacilar ou ter medo

A torcida canta o hino

E assim sigo esse arremedo.



Meu Náutico, não te vejo

Como o tal aristocrático,

Pois se assim ainda o fosses

Não me terias fanático.

Minha origem é humilde

E tu és bem democrático.



O meu Náutico é um grito

De meu pai: um vozeirão.

É sorrir no gol marcado,

É chorar por emoção,

É saber perder/ ganhar

E disso tomar lição.



Na avenida Rosa e Silva,

O torcedor cumpre a sina

De passar, já corriqueiro,

Com ação que desatina,

Na bicicleta ou no carro

E apertar sua buzina!



O meu Náutico tem cor

Do sangue de um bravo herói.

Um vermelho e branco nítido

Como escreveu seu Tolstói:

“Guerra e Paz” me diz o livro

E a luta assim se constrói.



O meu Náutico tem títulos

Que eu sequer tenho noção

No campo, quadra e no mar

De nosso estado ou nação.

Porém tens um troféu raro:

Meu amor e coração!



E assim por amar-te tanto

Muitas palavras não tenho.

Meus parabéns aqui ficam;

Já não controlo meu cenho.

Náutico, o Capibaribe

É o teu nome e o teu lenho!



O torcedor alvirrubro Rafael de Oliveira, professor e cordelista, fez "uns versinhos para o Timba em razão dos seus 110 anos", como ele mesmo descreveu. O poema " Meu Náutico" foi escrito por ele, mas com certeza é uma grande homenagem ao clube de todos os alvirubros. Logo o autor do VemA, de coração vermelho e branco, deixa um pouco de lado a sua neutralidade e publica com orgulho as tradições em poesia do N-Á-U-T-I-C-O.

Nenhum comentário: