Enter your keyword

Trova de saudade


Agora vi os pássaros no gorjeio distante,
no breve ardor de sal temperando o mar,
no vendedor de caranguejos e amendoins,
na saudade que passa e volta na onda.

Dentre ouriços e sargaços, ficou o passo,
a pegada da memória, o restauro do bom
e os papagaios empinados voando longe
como a intensa saudade em dia de vento.

O hino dos coqueiros, a ciranda, a vida,
tudo lembra o ritmo altivo e feliz do Janga,
o pranto vira doce de mamão,coco e cravo.

Bem certo que tudo fosse conversa fiada,
das risadas nos causos de vovó e vovô
até os latidos do vira-latas, era uma vez.


Poema publicado também no Site Recanto das Letras, seção Poesias  (AQUI).


Nenhum comentário: