Enter your keyword

Será


Pode ser que à distância,
corpos divirjam um do outro
e o encontro impressione
no escuro da rua estranha.

Pode ser que dois olhos
se atinem e afugentem
o sossego de quem vê e
deriva na sombra adiante.

Pode ser que no provável,
a tempestade se imponha
e a planta agarrada na chuva desplante à força e resista.

Pode ser que nada seja,
mas a vida dá sinais de luz
e o menino nasce chorando
sem os borrões do que será.


Poema publicado também no Facebook Blog VERDADEmATITUDE e no Site Recanto das Letras, seção Poesias (AQUI).

Nenhum comentário: